Questões e Respostas para uma Produtividade da água

Há mais de 50 anos a Netafim vem ajudando produtores em todo o mundo à superarem os desafios da produção de alimentos, oferecendo tecnologias que possibilitam uma gestão eficiente dos recursos hídricos.

A boa gestão dos recursos hídricos é uma responsabilidade de todos e a Netafim traz a todos os produtores a possibilidade de melhorar a sua prórpria gestão, reduzindo assim o consumo de água em sua produção

 

De que forma a Netafim pode contribuir para a redução de consumo de água na agricultura?

Agricultores em todo o mundo estão sob pressão para otimizar a eficiência do uso da água. Eles enfrentam desafios como seca, lixiviação, desperdício e dificuldade de acesso a reservas. A irrigação inteligente lida com cada um desses desafios ao mudar a forma como você consome água, produzindo as colheitas mais rentáveis e potencializando a produtividade da água.

Seja qual for a cultura, o clima, o solo ou a região, é possível cultivar mais alimentos utilizando menos recursos. Nosso objetivo, então, é simples - tornar a irrigação inteligente a solução mais acessível e eficiente para produtores em todo o mundo.

 

O que é produtividade da água?

É um conceito que utilizamos para retratar a eficiência de cada milímetro no resultado final da colheita. Em outras palavras, produtividade da água é um termo relacionado à quanto de recurso hídrico foi utilizado para produzir cada tonelada, saca, ou quilo de cada alimento.

Antes falávamos de eficiência de cada sistema, ou seja, quanto de água a irrigação por gotejamento ou os sistemas convencionais entregavam de água às plantas. O que queremos mostrar agora, é o quanto dessa água realmente foi utilizada para produzir o alimento e, qual tecnologia tem a melhor resposta de produtividade.

Para isso, fizemos um estudo em diversas áreas produtoras, com diferentes culturas, e chegamos à conclusão que a irrigação inteligente – que alia o gota a gota, com a nutrirrigação – reduz até 50% no consumo da água, e aumenta a produtividade de 100% em alguns casos. Isso significa que a produtividade da água pode ser de 65% a 95% maior neste sistema.

 

O que vocês identificaram neste estudo? Pode me dar dados?

Soja: Case da Fazenda Unaí (MG), com 84 hectares de irrigação por gotejamento. Produção de 91 sc/ha, consumindo em média 10,8 mm de água para cada saca entregue. Na área de testemunha a produtividade foi de 55 sc/ha, com consumo de 18,8 mm por saca, ou seja, mais água e menos produtividade. Ou seja, a produtividade da água do sistema gota a gota neste cenário foi de 74% mais eficiente, frente a testemunha, uma vez que consumiu 8 mm a menos por saca e produziu 65% a mais.

Milho: Case da Fazenda Tabapuã Pirineus, em Cocalzinho de Goiás (GO), com 25 hectares e obteve os seguintes resultados: produtividade de 300 sc/ha e uso de 1,66 mm de água para cada saca produzida no gotejamento. Já na testemunha a produção foi de 160 sc/ha com consumo de 3,25 mm para cada 60/kg do cereal. Como conclusão temos que a produtividade da água no gotejo foi 96% superior ao método tradicional, já que o sistema utilizou 1,59 mm menos para produzir a mesma saca, ao mesmo tempo que o incremento da produtividade foi de 88%.

 

A produtividade da água pode ajudar a agricultura sair do status de vilã?

Não acreditamos que a agricultura é uma vilã, e sim uma vítima da escassez dos recursos hídricos. Porém, sabemos que a atividade é a maior consumidora do recurso – cerca de 70% da água disponível no Brasil -, mas não podemos deixar de produzir alimentos.

Então, nossa visão é que, enquanto cadeia, precisamos enfrentar três desafios: escassez de água, clima, crescente demanda por alimentos e a limitação de terra.

Superar cada um deles é essencial para o futuro do planeta - é por isso que a irrigação inteligente existe. A tecnologia lida com todos os quatros, permitindo que agricultores produzam colheitas de maior rendimento usando menos recursos.

 

Qual a diferença entre o sistema de pivô e por gotejamento?

O pivô é sistema de irrigação por aspersão composto por uma base, aspersores invertidos, torres e rodados.  Esse sistema imita as chuvas, ou seja, a parte da cultura atingida primeiramente são as folhas e não o solo.  Para aplicar lâminas maiores é necessário que o pivô ande mais devagar e com isso demore mais tempo para irrigar a área. 

O gotejamento é um sistema de irrigação localizada, composto por gotejadores que levam a água e os nutrientes diretamente na área radicular da cultura, irrigando a planta ao invés de irrigar o solo. O sistema traz como principais benefícios: altíssima eficiência na aplicação da água (95%), possibilidade de aplicar os nutrientes juntos com a água de irrigação (nutrirrigação) e aproveitamento de 100% da área.

 

Esse sistema atende todos os agricultores ou apenas grandes empresas devido ao custo?

As soluções de irrigação da Netafim/Amanco se adaptam a todos as necessidades, são de fácil utilização e acessível desde o pequeno até o grande produtor. Nosso propósito é garantir que a planta receba a quantidade certa de água e nutrientes, economizando até 50% de água e de até 50% de energia elétrica.

 

Conte mais um pouco sobre o case de sucesso em Israel.

Começamos em 1965, buscando formas de cultivar no deserto do Negev, em Israel. Foi assim que nasceu a Netafim e a tecnologia de irrigação por gotejamento.

Logo, nós sabemos o que é trabalhar em condições extremas. Essa dificuldade nos ensinou como combinar irrigação inteligente, conhecimento agronômico e inovação incansável para ajudar agricultores a cultivarem mais de qualquer cultura, em qualquer clima, usando menos.